Como fica o sexo durante a gravidez?

Sexo na gravidez
Foto: Paulo Moraes

A gravidez traz muitas mudanças para a mulher. Com o aumento da produção hormonal (estrogênio e progesterona) o cabelo e a pele ficam diferentes, a atividade intestinal diminui, o abdômen e os seios aumentam.

Estas mudanças podem alterar a forma que as mulheres se enxergam e algumas delas acabam se sentindo menos atraentes fisicamente.

Ainda temos a libido que pode alterar-se ao longo dos nove meses.

Geralmente, no primeiro trimestre, a vontade pode ser menor devido à ansiedade, à maior percepção de odores, cansaço, enjôos, vômitos e mal-estar.

Nesse início a freqüência da atividade sexual acaba diminuindo por medo de prejudicar o bebê ou induzir um aborto.
Muitas pacientes relatam no consultório que os parceiros ficam com medo de encostarem no bebê.

No segundo trimestre, quando as náuseas diminuem e a mulher já esta mais adaptada à nova fase, a libido pode voltar ao normal.

No último trimestre, a ansiedade pelo nascimento do bebê pode fazer com que a vontade volte a cair. O tamanho da barriga também acaba deixando a relação sexual desconfortável.

Mas lembre-se, cada gravidez é única, cada mulher tem suas peculiaridades.

Vale saber que se não houver contra-indicação médica e a mulher se sentir confortável, o sexo durante a gestação está liberado, e mais, ele é até recomendado.

Ele pode ser um bom aliado para aliviar as tensões que a gravidez provoca porque os orgasmos aumentam a adrenalina e diminuem a pressão sanguínea.

Isso diminui o risco de doenças do coração e produz uma sensação de tranqüilidade.

Fazer sexo na gravidez pode aumentar o prazer. A vagina fica mais sensível e lubrificada, o que faz com que a relação seja mais prazerosa e pode ampliar a quantidade e qualidade dos orgasmos.

Os orgasmos liberam ocitocina, um hormônio capaz de combater o estresse e agir como afrodisíaco.

O sexo durante a gravidez é um momento especial em que é possível fortalecer a união do casal e reforçar o projeto em comum que se constrói ao ter um filho.

Para a mulher sentir o afeto do parceiro é fundamental porque, ao longo da gravidez, com as mudanças corporais, muitas mulheres passam a se sentir pouco desejadas.

A sensação psíquica que o sexo desperta na mamãe é percebida pelo bebê pois, o útero fica mais oxigenado durante a relação sexual. O balanço que o útero faz em decorrência dos movimentos durante a relação também agrada os bebês.

As relações sexuais nos últimos meses da gravidez podem ajudar a estimular o trabalho de parto. E mais, os encontros íntimos durante a gravidez ajudam a preparar o assoalho pélvico para o parto e também na recuperação pós parto.

Agora vamos analisar alguns pontos:

É um momento incrível da sua vida. As mudanças do seu corpo são pequenas perto da mudança no seu coração.

Não deixe de se cuidar, mas não se preocupe, a maternidade vem pra fazer de você uma pessoa melhor e mais bonita.

Para os papais preocupados: existe um longo caminho até o bebê: colo do útero, tampão mucoso, bolsa, liquido amniótico. Não se preocupem!

Antes de começar a relação, vale intensificar as preliminares no intuito de estimular a libido e deixar o momento mais gostoso.

Normalmente dizem que a posição de lado, ou a gestante por cima, são mais indicadas, mas não existe uma regra. Existe aquela posição que seja confortável e prazerosa para o casal.

O casal deve conhecer e compreender que a gestação traz mudanças psicológicas e fisiológicas.

Eles devem desenvolver uma comunicação e compreensão entre eles para se sentirem confiantes e confortáveis.

Juntos vão aprender a lidar com as limitações e emoções do período e se adaptar a essa fase.

É o momento em que podem descobrir outras formas de vivenciar a sexualidade.

Leave a Reply

Your email address will not be published.