Curso de Preparação para o Parto e o Acompanhante

Hoje vamos falar um pouquinho sobre nosso Curso de Preparação para o Parto e a importância dele para o acompanhante da gestante.

O momento do parto é carregado de expectativas, ansiedade e medo. Transmitir o máximo de informações sobre o que acontecerá antes, durante e depois foi o que nos motivou a criar esse curso. Como acompanhávamos partos, começamos a notar a importância de esclarecer dúvidas que as nossas pacientes e seus acompanhantes tinham quanto à dinâmica do parto. Essas dúvidas podem dar margem a fantasias, aumentando a sensação de ansiedade, tanto para a gestante quanto para o acompanhante. Mães costumam ler muito sobre gravidez, parto e pós parto. Não que os pais não se interessem, tem alguns que chegam no curso preparados para assumir a turma e dar a aula. Mas o fato é que informação nunca é demais e foi com esse intuito que resolvemos oferecer um curso para que juntos eles pudessem aprender sobre os sinais do trabalho de parto, o que fazer, e principalmente, como o acompanhante poderia ajudar ativamente naquele momento.
Notamos que as informações sobre o trabalho de parto e as orientações sobre o que pode ajudar a parturiente são fundamentais para proporcionar ao pai participação mais ativa e sensação de participar do processo de nascimento. Com isso, é crescente a nossa percepção de que o acompanhamento familiar e o apoio emocional trazem benefícios à parturiente e ao desenvolvimento do parto, no que concerne a seus aspectos emocionais e físicos.

Historicamente, o parto foi vivenciado como um evento feminino, acompanhado por pessoas próxima à gestante como mãe, avós, vizinhas, amigas ou parteira, e aí surge uma curiosidade: onde estavam os maridos/pais/acompanhantes dessas gestantes durante o trabalho de parto? Normalmente eles estavam ou trabalhando ou comemorando o nascimento do bebê com os amigos.
Essa crescente participação do homem na gestação e no parto de uma forma mais ativa, deve ser vista como uma evolução na constituição da família. A independência financeira da mulher e sua autonomia para decidir o melhor momento para ter um filho trouxeram mudanças no papel dela na sociedade e consequentemente nas relações conjugais e familiares. Hoje, a mulher assume uma dupla jornada: trabalha fora e cuida da casa e o pai assume responsabilidades domésticas.

Durante o parto, a mulher pode experimentar sentimentos e sensações como medo, angústia, alegria, tristeza por ser um fenômeno de intensidade emocional e física, os fatores fisiológicos e psicológicos interagem ao longo de todo o trabalho de parto. Nesse cenário, o acompanhamento tem resultados positivos, ele ajuda a mulher a passar por essa experiência proporcionando-lhe suporte físico e emocional e fazem com que o momento seja mais leve.
Atualmente os hospitais/serviços de saúde são obrigados a permitir a presença, junto a parturiente, de um acompanhante escolhido por ela durante o trabalho de parto, o parto e o pós parto imediato. Esse é um direito previsto na Lei nº 11.108/15. Diante desse novo cenário surge a necessidade de preparar esse acompanhante através de cursos e palestras com orientações sobre como ele poderá auxiliar a gestante no processo.

No nosso curso, na parte teórica aprofundamos os conhecimentos do casal sobre os sinais do trabalho de parto e como o acompanhante pode ajudar a gestante a identificar esses sinais. Já na parte prática, ensinamos as massagens e posições que podem aliviar e dar mais conforto durante as contrações do trabalho de parto, respiração ideal tanto para o momento do expulsivo como para aliviar os desconfortos e exercícios e posições que podem ajudar na evolução do trabalho de parto. Não podemos deixar de levar em consideração que os gestos de carinho e palavras que encorajam a gestante fazem toda a diferença e dão a ela suporte emocional.
Hoje o homem vivencia a experiência da gravidez de maneira ativa e isso influencia a forma como ele lidará com a situação, durante o trabalho de parto. Enquanto a mulher experimenta um processo fisiológico, o homem vive esse momento com toda a carga emocional, alguns relatam, insegurança, medo, desconforto, tensão e principalmente a sensação de não saber o que fazer para ajudar a gestante. Muitas vezes, dessa experiência surge maior intimidade com a mulher e admiração pela sua força.
​Oferecemos este curso para as pacientes que estão fazendo a Fisioterapia Pélvica na Clínica Fisio&Pelve. Existem vários cursos nos hospitais particulares e públicos do Brasil que oferecem esse suporte. Informe-se e procure na sua cidade os lugares que prestam esse tipo de serviço. Estejam preparados para esse momento tão especial na vida de vocês!

Leave a Reply

Your email address will not be published.