Dores e Desconfortos na Gestação

Dores e Desconfortos na Gestação

A gravidez traz muitas mudanças na vida da mulher. Além de toda alteração hormonal, a futura mamãe precisa lidar com as dores e os desconfortos que podem aparecer ao longo de toda a gestação.

Então se eu engravidar vou sentir dores? E quais são as mais comuns de acontecer? Existe alguma maneira de prevenir essas dores, ameniza-las ou eliminá-las?

No post de hoje vamos ajudar vocês a entenderem um pouquinho sobre essas dores e dar algumas dicas do que pode ser feito para aliviar esses desconfortos.

Embora sejam comuns no início ou no final da gravidez, esses incômodos afetam diretamente o bem-estar da gestante. Algumas mulheres acreditam que as dores só apareçam no final da gestação. Mas não é bem assim não pessoal.

No início a progesterona e o HCG responsáveis são por manter a gestação auxiliando no deslocamento e na reorganização dos órgãos dentro do corpo.

Além disso, eles vão afrouxar os músculos do corpo para aumentar o espaço para que o útero aumente de tamanho à medida que o bebê for crescendo ali dentro. Essa mudança corporal gera em algumas mulheres as famosas dores no quadril e ou lombar.

A medida que o bebê cresce o espaço dentro do corpo vai ficando menor. Os órgãos vão ficando mais apertadinhos e os músculos abdominais tendem a se alongar e se afastar favorecendo o aparecimento da diástase abdominal.

Vale lembrar que os músculos do abdômen protegem o abdômen e também a coluna.

Quando a musculatura do abdômen está completamente distendida fica difícil ativá-la e isso aumenta o risco de sobrecarregar a pelve.

Nesse caso podem surgir dores próxima a virilha, nas laterais do quadril, na região lombar ou na região próxima ao glúteo.

Mas a gestação não é a grande vilã dessas dores não viu gente? Algumas mulheres relatam que antes de engravidarem já apresentavam dores em alguma dessas regiões.

Como não foram tratadas anteriormente, essas dores acabam se intensificando em decorrência das alterações provenientes da gestação.

O sedentarismo é um fator que pode agravar o surgimento desses desconfortos. Isso mesmo futuras mamães, xô preguiça e vamos mexer o corpo.

Fazer atividade física na gestação é importante para manter um bom condicionamento cardiovascular, manter os músculos corporais em funcionamento, ativados e flexíveis.

Tudo isso vai ajudar você a ficar mais disposta além de prevenir essas tais dores que estamos falando nesse post.

E se você não se preocupa com a maneira como se senta no trabalho, pode começar a prestar mais atenção nessa postura tá?

Tente sentar de maneira que você contraia o abdômen, daquele jeito que ficamos elegantes com o peito estufado e a barriga pra dentro. Ah e quando for se sentar, não se jogue na cadeira ou no sofá.

Quando for levantar, apoie os braços para não forçar tanto a coluna. Se algo cair no chão faça aquele agachamento da academia, dessa forma você não vai precisar se curvar pois esse movimento pode desenvolver um quadro de dor ou piorar um preexistente.

Poxa mas minha barriga está enorme eu nem consigo amarrar o cadarço do meu tênis, o que dirá pegar alguma coisa que cair no chão. Nesse caso vale recorrer as pessoas que estiverem por perto #ajudeumagravida.

A atividade física além de melhorar os quadros de dores vai te ajudar a manter o peso mais equilibrado, evitando que você engorde além do necessário o que pode piorar as queixas de dores.

Vamos agora descrever algumas dores que podem surgir ao longo da gestação.

Dor lombar

Localizada na parte acima dos glúteos. Atinge cerca de 80% das gestantes em algum momento da gestação.

Além de tudo que já foi mencionado, outro motivo que pode desencadear essa dor é a alteração gravitacional do corpo, ou seja, o deslocamento do nosso corpo para frente para compensar o peso do útero.

Para que a gente não caia para frente, nosso corpo gera uma mudança na postura e se joga para trás fazendo aquela curvatura na coluna e sobrecarregando essa região.

O ganho excessivo de peso pode intensificar essa dor pois, quanto maior o peso, maior o deslocamento do corpo para frente e consequentemente maior a intensidade dessa dor. Por isso, uma das melhores formas de prevenir o problema é ganhando a quantidade de peso recomendada pelo médico.

Então vamos observar a postura em casa e no ambiente de trabalho para prevenir essa dor. Se por acaso a dor já estiver instalada, você não precisa ficar sofrendo.

Algumas dicas para aliviar essas dores são fazer RPG, exercícios de alongamento e mobilidade pélvica, massagens localizadas, compressas de água morna e acupuntura.

Utilizar travesseiros entre as pernas na hora de dormir de lado também pode amenizar as dores.

Sacroiliaca

É aquela dor bem nos glúteos. Normalmente a gestante tem uma sensação de fisgada e/ou de inflamação na região do osso.

É comum sentir ao ficar muito tempo em pé, muito tempo sentada e até mesmo quando ficamos deitada de barriga para cima.

O ideal para evitar essa dor é estar sempre ativa, manter a atividade física.
Uma compressa gelada também pode ajudar a aliviar o desconforto.

Pubalgia

É uma dorzinha entre as pernas, bem no ossinho acima da vagina.
Normalmente as gestantes se queixam que essa dor aparece ao ficarem apoiadas em uma perna só para vestir a calcinha ou lavar os pés, ao virar na cama durante a noite e ao sair do carro.

Além disso, devemos considerar também que essa região se sobrecarrega ao longo da gestação.

Se considerarmos que ao final da gestação teremos nessa região 3,5 kg do peso do bebê peso mais 1kg da placenta e mais 1kg de líquido amniótico, somaremos aproximadamente um ganho de 5 a 7kg.

Quem sofre com esse ganho de peso é a pelve, mais especificamente a sínfise púbica, que só relaxará perto do parto, quando essa estrutura fica mais maleável para a passagem do bebê.

A ativação abdominal deve ser feita para melhorar as dores.

Alguns movimentos que fazemos podem ser adaptados para que você sinta menos desconforto no púbis.

No banho para lavar os pés utilize uma cadeira ou banco para que sentada você possa colocar o pé direito em cima do joelho esquerdo e depois o pé esquerdo em cima do joelho direito. Essa dica também pode ser usada para calçar sapatos, amarrar o cadarço do tênis.

Quando for trocar de posição na cama, ao virar de lado procure sempre levar as duas pernas juntas, fazendo um movimento simultâneo delas. Essa também vale para quando você for entrar ou sair do carro. Sente-se de lado no banco do carro e gire o bumbum com as duas pernas ao mesmo tempo e para sair faça o mesmo movimento.

Essas adaptações vão evitar que você force ainda mais a região e vão prevenir que a dor apareça ou piore.

Em alguns casos usar uma cinta de sustentação pode aliviar também.

Dor nas articulações

As mudanças hormonais, próprias da gravidez, provocam uma maior retenção de líquidos causando inchaço nas articulações e consequentemente dores.

Isso também pode acontecer devido à síndrome do túnel do carpo, uma inflamação do nervo mediano que passa pelo canal do carpo no punho.

Todos os tecidos, incluindo os do pulso, se embebem em líquido e tendem a inchar, reduzindo ainda mais o espaço disponível para a circulação do nervo mediano.

No início essa dor costuma se manifestar a noite, quando a circulação sanguínea é mais lenta. Á medida que a síndrome avança ocorre também durante o dia.

Para minimizar esses problemas todos, o ideal é que a gestante faça exercícios físicos e tenha uma dieta equilibrada, com pouco sal, principalmente no final da gestação.

Evite dormir com as mãos embaixo do travesseiro e procure mexer mais as mãos durante o dia, fazer alongamentos do membros superiores pode ajudar.

Dor nas pernas

Mais uma vez o peso é o vilão aqui.

Vamos anotar ai na listinha das dicas para gestante a ida ao nutricionista e a pratica de atividade física na gestação hein pessoal?

Gente, essa pratica de atividade física não necessariamente precisa ser ir para a academia. Pode ser uma caminhada que você ainda vai aproveitar a vitamina D do sol.

Ao equilibrar o corpo a postura das pernas da gestante muda. Ficam bem mais arqueadas. Isso faz com que elas fiquem mais doloridas.

Além disso pode ocorrer uma diminuição do retorno venoso, deixando os membros inferiores com edemas e dores. Aqui a dica é colocar as perninhas pra cima (elevadas em 30 graus) no final da manhã e no final da tarde.

Câimbra

Quem aí nunca teve uma câimbra de madrugada que o marido achou que era trabalho de parto?

A mudança de postura nas pernas sobrecarrega os músculos e pode causar câimbras.

Essas dorzinhas chatas acontecem com as alterações na circulação sanguínea e pelo desequilíbrio de minerais na corrente sanguínea.

Para diminuir as chances de ter esse incômodo, faça exercícios de alongamentos e tenha uma alimentação variada, como frutas e vegetais, que vão ajudar no problema.

Alongamentos antes de dormir também são uma solução.

Fisioterapia Pélvica para aliviar dores e desconfortos

Independente da via de parto, na fisioterapia pélvica vamos preparar o corpo todo da mulher, trabalhando pontos específicos de dor de acordo com as necessidades de cada gestante.

Ensinamos exercícios e posturas para prevenir essas dores. Aplicamos técnicas para aliviar os casos de dores já instaladas e preparamos o assoalho pélvico para sustentar essa sobrecarga que se dará ao longo da gestação.

Viu só como você não precisa passar nove meses sentindo dores e achando normal?

Pratique atividade física seja pilates, hidroginástica, musculação ou mesmo uma caminhada.

Tenha uma alimentação balanceada, assim você consegue controlar melhor o ganho de peso.

Reduza o sal na comida. Beba bastante água.

Faça fisioterapia pélvica.

Leave a Reply

Your email address will not be published.