Incontinência Urinária

Você já perdeu um pouquinho de urina sem querer?


A incontinência urinária é uma condição que afeta bastante a qualidade de vida da pessoa. Essa disfunção compromete o bem-estar físico, emocional, psicológico e social.

A incontinência pode ocorrer em homens e mulheres, em qualquer idade.

As mulheres, contudo, têm três vezes mais chances de sofrerem incontinência, principalmente por causa do esforço físico causado pela gestação e por uma queda nos níveis de estrogênio depois da menopausa.
Vamos tentar entender um pouquinho o que acontece. Normalmente existe uma perfeita coordenação entre a bexiga e o esfíncter. Tá mas o que isso quer dizer?

O esfíncter é o músculo que funciona como uma válvula que fecha a uretra, e impede a saída da urina. Quando enchemos nossa bexiga (300 a 500ml) ela está relaxada e o esfíncter contraído, por isso não temos perda urinária. Na hora de esvaziá-la precisamos dessa coordenação entre a contração do músculo da bexiga e o relaxamento do esfíncter.

Continuei sem entender nada. Tá muito técnico esse texto. Então vamos falar em outra linguagem.

Os rins produzem a urina, que é armazenada na bexiga. Na parte mais baixa da bexiga temos o esfíncter que fica contraído para manter fechado o canal (uretra) que leva a urina para fora do corpo. Assim, a urina fica na bexiga até que ela encha.

Quando a bexiga enche, recebemos estímulos no nosso cérebro que nos diz que está na hora de fazer xixi. E ai decidimos se vamos ou não fazer xixi naquele momento.

Se decidimos fazer xixi, o músculo do esfíncter relaxa e permite que a urina saia através da uretra ao mesmo tempo em que os músculos da bexiga (músculo detrusor) contraem para empurrar a urina para fora.

Acontece que a capacidade de controlar o xixi pode ser comprometida e é ai que entra a incontinência urinária, ou seja a perda desse controle.

Vamos enumerar aqui alguns mecanismos que podem afetar esse controle na saída do xixi:
• Fraqueza dos músculos pélvicos
• Envelhecimento – devido a diminuição de estrogênio nas mulheres e a diminuição de força corporal em ambos os sexos
• Obesidade
• Gestação
• Parto
• Constipação intestinal
• Exercícios de alto impacto
• Cirurgias e lesões anteriores

Apesar de não ser uma disfunção que ameace a vida do paciente, a incontinência urinária pode causar vergonha ou levar as pessoas a restringirem suas atividades, contribuindo para um declínio em sua qualidade de vida.

A maioria das pessoas tem vergonha de relatar que tem incontinência para seus médicos. Algumas acreditam que ela faz parte do processo de envelhecimento. Entretanto a incontinência, mesmo a que está presente durante algum tempo ou que ocorre em pessoas idosas, pode ser tratada.
A Fisioterapia Pélvica é considerada hoje como o tratamento de primeira linha, até mesmo antes da cirurgia e de medicações.

Ela tem uma importante atuação na prevenção e tratamento da incontinência urinária, promovendo uma melhor conscientização corporal. O tratamento consiste em fortalecer os músculos do assoalho pélvico evitando problemas causados pela perda de força naquela região, como a incontinência urinária.

E aí, ficou alguma dúvida? No próximo post vamos falar sobre os tipos de incontinência.

Leave a Reply

Your email address will not be published.