Tipos de Incontinência

Tipos de incontinênciaNo post da semana passada falamos sobre a Incontinência Urinária. Aquela situação que pode ser constrangedora de perder xixi sabe?

Ela pode acontecer quando a pessoa está tossindo, espirrando, praticando atividade física ou mesmo sem nenhuma dessas ações.

Então hoje vamos falar dos tipos de incontinência urinária? Isso mesmo pessoal, existem diferentes tipos de perda de urina e identifica-los é muito importante para que o tratamento seja realizado de maneira efetiva.

Vamos começar falando da incontinência de esforço que foi justamente a situação que mencionamos no início do post

A perda de urina ocorre quando a pessoa faz alguma atividade que force o abdômen, como tossir, espirrar, dar risada, carregar peso ou até mesmo andar.

Esse tipo de disfunção está relacionado a fraqueza dos músculos do assoalho pélvico – que são responsáveis por dar suporte a bexiga, ou a fraqueza ou lesão do esfíncter uretral.

Algumas pessoas vão com muita frequência ao banheiro para manter a bexiga vazia e evitar que aconteça alguma situação desagradável.

Muitas evitam exercícios físicos com o mesmo objetivo. A maioria permanece seca à noite, mas podem molhar-se ao levantarem para ir ao banheiro.

Esse tipo de incontinência é mais frequente em mulheres com fraqueza dos músculos do assoalho pélvico e pode haver prolapso da bexiga, útero ou intestino (“bexiga caída”).

Pode acontecer com mulheres que já tiveram filhos (parto vaginal ou cesariana) e também com mulheres que nunca tiveram filhos.

Nos homens, a incontinência de esforço está geralmente relacionada as cirurgias ou traumatismos da próstata e uretra.

E aquela situação em que você corre para o banheiro, mas não consegue chegar a tempo de evitar a perda de urina?

Então, esse tipo de incontinência chamado de bexiga hiperativa ou urge-incontinência acontece quando a bexiga se contrai sem a sua vontade.

Isso faz com que ou você perca urina indo ao banheiro ou faz com que vá ao banheiro o tempo todo. Pode acontecer também a perda de urina sem que haja nenhum sinal antes.

Algumas pessoas acabam criando o hábito de ir ao banheiro em intervalos curtos e acordam várias vezes durante a noite para esvaziar a bexiga. Isso atrapalha o sono e afeta a qualidade de vida da pessoa.

Convenhamos né pessoal, nada como uma boa noite de sono para renovar as energias do nosso dia a dia né?

Voltando ao assunto da hiperatividade da bexiga, ela pode estar relacionada a alguma infecção que inflame a sua superfície interna.

Os nervos que controlam a bexiga também podem ser responsáveis pela hiperatividade vesical.

Pacientes com doenças neurológicas frequentemente apresentam incontinência urinária justamente por não terem controle normal dos nervos da bexiga.
Em muitos casos, entretanto, a causa pode ser indeterminada.

Entendi os dois tipos. E se eu disser que já passei pelas duas situações? Pode acontecer de uma mesma pessoa apresentar esses dois tipos de incontinência? Pode sim! É a chamada incontinência mista.

Agora vamos falar da incontinência funcional. É a perda de urina devido a limitações físicas, mentais ou outras circunstâncias que impedem que a pessoa utilize normalmente um banheiro.

Por exemplo, uma pessoa com Alzheimer pode não reconhecer a necessidade de urinar ou não saber onde fica o banheiro.

As pessoas acamadas podem não ser capazes de andar até o banheiro.
Incontinência urinária e distúrbios da micção após cirurgias ginecológicas e outras – Cirurgias para retirada de tumores ginecológicos podem afetar a funcionalidade dos nervos que vão para a bexiga e desencadear um distúrbio no controle voluntário dela. Outras cirurgias podem afetar a integridade do esfíncter uretral, enfraquecendo-o e facilitando a perda de urina

É verdade que quando a bexiga está muito cheia ela pode transbordar? Pode sim gente. E esse também é um dos tipos de incontinência urinária chamada de incontinência por transbordamento.

Ela está relacionada a fraqueza do músculo da bexiga. Nesse caso, a bexiga não contrai para dar vontade de ir ao banheiro fazendo com que a pessoa acumule muita urina.

Esse tipo de incontinência pode ocorrer também pela obstrução na saída de urina, ou seja, algo na uretra pode estar bloqueando a passagem do xixi.

A fraqueza do músculo ocorre principalmente em pacientes com diabetes, alcoólatras crônicos e alguns tipos de distúrbios neurológicos.

Por último vamos falar da enurese noturna, o famoso “xixi na cama” que já foi tema de um post nosso aqui no Blog. É a perda involuntária de urina durante o sono. Apesar da maioria das crianças aprender a controlar a micção em torno dos três ou quatro anos de idade, considera-se normal que algumas ainda urinem na cama até os cinco ou seis anos. Esse tipo de incontinência não se restringe a crianças, podendo acontecer com adultos também.

Quando o indivíduo apresenta duas ou mais causas de incontinência elas devem ser investigadas para que se estabeleça um plano adequado de tratamento.

Na presença dos sintomas de incontinência urinária, procure um urologista que, através do diagnóstico correto, saberá indicar uma fisioterapeuta especializada e capacitada para tratar de disfunções pélvicas

Leave a Reply

Your email address will not be published.